oeirassol            PORTAL OEIRAS SOLIDÁRIAimageedit 2 6585811264

 oeirassol                 PORTAL OEIRAS Simageedit 2 6585811264OLIDÁRIA

 oeirassol            PORTAL OEIRAS SOLIDÁRIAimageedit 2 6585811264

segunda 19 fevereiro 2018

Carta

 

O Município de Oeiras aderiu à Carta Portuguesa para a Diversidade, uma vez que Portugal assinala 2016 como o ano do compromisso com uma caminhada conjunta de trabalho e partilha rumo a uma sociedade mais igualitária, diversa e coesa.

 

"A União Europeia reconhece que as Cartas para a Diversidade podem contribuir para lutar contra a discriminação no mercado de trabalho e promover a igualdade."


A Carta Portuguesa para a Diversidade foi criada pela Fundação Aga khan, uma instituição privada de desenvolvimento sem fins lucrativos.

Esta Fundação é internacional, estando presente em 30 países e 7 regiões do Mundo, e é vocacionada para o apoio às comunidades em situações de exclusão social, independentemente da sua etnia, crença religiosa, convicção política ou sexo. As suas principais áreas de atenção são o desenvolvimento rural, educação e desenvolvimento infantil, saúde, infraestruturas de pequena escala, meio ambiente e fortalecimento da sociedade civil.

A Carta Portuguesa para a Diversidade constitui um instrumento voluntário com objetivo de estimular os empregadores a estabelecer um compromisso para com valorização da diversidade, conduzindo à implementação e ao desenvolvimento de políticas e práticas internas pertinentes.Tem intenção de gerar um movimento de aprendizagem contínua através da partilha de práticas e recursos.

Quando uma organização assina a Carta passa a ser considerada Organização Signatária, fazendo parte da Rede da Carta. Este estatuto significa que poderá fazer parte do Conselho Consultivo (CC), pertencer ou coordenar um Grupo de Trabalho (GT), participar nos Plenários anuais, reportar bienalmente as suas políticas e práticas de diversidade, assegurar a participação em reuniões e iniciativas que vierem a ser realizadas, assumir a sua participação nas estruturas de governança a que pertença, informar da sua indisponibilidade temporária ou permanente para a participação e identificar os recursos humanos, físicos, técnicos e financeiros disponíveis para partilha.